Inflação oficial fica em 0,45% em outubro, diz IBGE

<

inflacao 07_11_18

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial do país, ficou em 0,45% em outubro após ter registrado alta de 0,48% em setembro, segundo divulgou nesta quarta-feira (7) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

Apesar da desaceleração em relação ao mês imediatamente anterior, trata-se da maior taxa para o mês desde 2015 (0,82%).

 

No acumulado em 12 meses, o índice ficou em 4,56%, acelerando frente aos 4,53% dos 12 meses imediatamente anteriores e se mantendo acima do centro da meta do Banco Central, que é de 4,5% para o ano, com margem de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

Período Taxa
Outubro de 2018 0,45%
Setembro de 2018 0,48%
Outubro de 2017 0,42%
Acumulado no ano 3,81%
Acumulado nos 12 meses 4,56%

 

Os preços do grupo Alimentação e bebidas aceleraram de 0,10% em setembro para 0,59% em outubro, enquanto Transportes desacelerou de 1,69% para 0,92%. Juntos, esses dois grupos responderam por 43% das despesas das famílias e contribuíram com cerca de 70% do índice do mês.

 

IPCA – Variação e Impacto por Grupos – Mensal         

Grupo  Variação (%) Impacto (p.p.)  
Setembro  Outubro  Setembro  Outubro   
Índice Geral  0,48 0,45 0,48 0,45
Alimentação e Bebidas 0,10 0,59 0,03 0,15
Habitação 0,37 0,14 0,06 0,02
Artigos de Residência 0,11 0,76 0,00 0,03
Vestuário -0,02 0,33 0,00 0,02
Transportes 1,69 0,92 0,31 0,17
Saúde e Cuidados Pessoais 0,28 0,27 0,03 0,03
Despesas Pessoais 0,38 0,25 0,04 0,03
Educação 0,24 0,04 0,01 0,00
Comunicação -0,07 0,02 0,00 0,00
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Índices de Preços

O IPCA é calculado pelo IBGE desde 1980, e se refere às famílias com rendimento monetário de 01 a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte, e abrange dez regiões metropolitanas do país, além de Brasília e dos municípios de Goiânia, Campo Grande, Rio Branco, São Luís e Aracaju.

 

INPC varia 0,40% em outubro

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) variou 0,40% em outubro, a maior alta para o mês desde 2015 (0,77%), e ficou 0,10 p.p. acima da taxa de 0,30% de setembro. O acumulado no ano ficou em 3,55%, acima do 1,62% registrado em igual período do ano passado. Nos últimos 12 meses, o índice ficou em 4,00%, acima dos 3,97% dos 12 meses imediatamente anteriores. Em outubro de 2017, a taxa atingiu 0,37%.

Meta de inflação

A previsão dos analistas para a inflação em 2018 caiu de 4,43% para 4,40%, segundo a última pesquisa Focus do Banco Central.

 

O percentual esperado pelo mercado continua abaixo da meta de inflação que o Banco Central precisa perseguir neste ano, que é de 4,5% e dentro do intervalo de tolerância previsto pelo sistema – a meta terá sido cumprida pelo BC se o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficar entre 3% e 6%.

 

A meta de inflação é fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Para alcançá-la, o Banco Central eleva ou reduz a taxa básica de juros da economia (Selic), atualmente em 6,5% ao ano.

 

Para 2019, os economistas das instituições financeiras mantiveram sua expectativa de inflação estável em 4,22%. A meta central do próximo ano é de 4,25%, e o intervalo de tolerência do sistema de metas varia de 2,75% a 5,75%.

 

Em 2017, a inflação oficial do país ficou em 2,95%, fechando pela primeira vez abaixo do piso da meta fixada pelo governo, que era de 3%.

Esta entrada foi publicada em Notícias & Comentários. Adicione o link permanente aos seus favoritos.